Jeanie Adams-Smith foi jurada no Concurso de Fotografia 2022 v01

Juiz WPJA desde 2005 -

Jeanie Adams-Smith deixou o Chicago Tribune em 2002 para ocupar uma posição na Western Kentucky University, onde compartilhou sua experiência com estudantes em uma das principais escolas de fotojornalismo do país.

Sua carreira de 10 anos no Tribune culminou com ela na posição de editor de imagens nacional / estrangeiro durante os ataques de setembro 11, 2001, no World Trade Center, que mudou para sempre a América. Até então, Adams-Smith já havia publicado um livro de foto-documentário sobre beisebol da segunda divisão, e uma peça multimídia sobre os filhos do divórcio que ganhou o primeiro lugar em Imagens do Ano Internacional.

Desde que chegou à WKU, Adams-Smith publicou mais dois livros de fotografia documental social e foi nomeado Fotógrafo do Ano 2006 pela Kentucky News Photographers Association. A universidade nomeou seu livro, Sobreviventes: os filhos do divórcio, o culminar de seis anos de trabalho, para o Prêmio Pulitzer em não-ficção.

Adams-Smith também ganhou prêmios internacionais por fotografia documentando clínicas de saúde para mulheres nos bairros de Chicago, unidade de queimaduras de crianças da Vanderbilt University, luta de uma família com lesões cerebrais traumáticas e um depoimento fotográfico de sobreviventes de estupro e abuso sexual em Kentucky.

Nos últimos anos, ela viajou duas vezes para Cuba, documentando o cotidiano das pessoas em Havana Velha, um Patrimônio da Humanidade até hoje intocado pelo comércio internacional. Ela também esteve na Irlanda ocidental para documentar fazendas familiares ameaçadas pela agricultura industrial. O trabalho lhe rendeu vários prêmios regionais e nacionais. Ela voltou recentemente da Inglaterra, onde lecionou no Harlaxton College por um semestre e trabalhou em um projeto de agricultura familiar na Europa.